segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Lorena , 18 á 22 de novembro de 2009. 10:16




18/11/2009
Acordei bem, mas passeie uma noite péssima. Lembranças...tenho que me livrar disso.
Arrumei-me, tomei café e ao sair dei falta d chave. Put´s...
Tive que passar na Beti e o pior que tiveram que ligar as 6.40. Ninguém merece!
Já na escola recolhi o lixo que os vira-latas espalharam.
Postei o diário e logo o Alex chegou e foi arrumar a descarga que não estava com defeito, segundo a Beti.
Ficamos um maior tempo falando das dificuldades da profissão e querendo fazer enfermagem. Será uma boa.
As crianças foram chegando e eu fui logo dando andamento nas coisas.
A parte da manha rendeu, dei almoço, banho e assim por diante.
Liguei para o Alexandre e ele não viu sua mãe e tava super desanimado. É uma pessoa q7ue não conseguiu reagir infelizmente. Isto me angustia tenho sempre que arrumar força e nem sei de onde. Ajudar nem sei por que eu me sacrifico e preocupo. Ta louco!!!
Deixei pra lá e fui esperar a turma da tarde.
Foram chegando aos poucos e o Alexandre ligou dizendo que havia crescido um papo debaixo do queixo da Olga.
Mais preocupação. Pelo jeito a noite promete.
Sem contar o gasto que estou tendo com substituta na escola. Ta ficando caro isso.
Sem contar que quantas vezes eu derramei lágrimas pelo serviço que segundo o Alexandre não valia a pena. O mais engraçado que foi de lá que tiramos dinheiro para se sair dos sufoco.
Eu só gostaria de saber por que disso... Parece não ter fim.
Deixei as meninas lá e vim pra casa dormir, mas estou inquieta e preciso dormir pra ir ao hospital, não consegui dormir e acabei fazendo macarronada para janta.
Levei o Choro em minha mãe para brincar com o Rinaldinho.
De volta para casa tomei banho e fui ler para descansar e dei uma cochilada.
O Alexandre ligou para eu ir de moto até minha mãe e deixa a moto lá.
Minha mãe esta fazendo meu vestido. Ta lindo!!!
Escolhemos outros modelos, conversamos e rimos.
O Alexandre chegou e fomos pegar o choro, que deixamos em sua mãe, compramos fraldas para Olga, e rumo ao hospital. Já aqui a Olga estava com muita dor de barriga.
O Alexandre trouxe pizza para mim e as enfermeiras.
A noite foi calma.
O celular do Alexandre ficou comigo. Fui ver umas imagens e não gostei de ver.
Chegou me dá raiva da situação e cheguei à conclusão que há coisas na vida da gente que não vale a pena.
Então eu fico me questionando o que estou fazendo da minha vida.
Assim foi mais um dia.



19/11/2009

Mais um dia...
Ajudei a Olga tomar banho e esperar o café.
O medico passou e disse que não irá pra casa ainda.
Isso ta desgastando e cansando.
O Alexandre sempre desanimado e o serviço e a mãe no hospital, já nem falo mais nada.
Passei na mãe conversei um pouco, tomei café e fui pra casa com o Choro chorando, pois queria esperar o primo que ainda não estava disponível.
Mas também a situação tira o filhote da rotina.
Almoçamos e eu fui dormir para acompanhar novamente a Olga à noite.
O Filhote fica estressado, pois não tem o que fazer e nem com quem brincar. Isso acaba estressando.
Tomei banho e vou até a Ana, pois ela me ligou para a terapia.
Vamos lá...
O Alexandre recebeu um telefonema de uma sugestão de emprego. Vamos aguardar.
Hoje o telefone tocou bastante. Ta louco!!!
A Terapia foi devagar quase sem aproveito.
Fui ao hospital e a Olga teve uma recaída. Problemas de rins.

20/11/2009



Chegando a casa tive que pegar o Choro na casa da vó Olga.
Fui com meu pai e daí trouxe o Gustavo junto.
Depois de banho e sono dei uma faxina na casa, pois no sábado hospital de novo.
O Gú e o Filhote me ajudou.
A Josi esteve aqui e a escola estava jóia. Legal.
Hoje o dia rendeu e logo fui dormir depois de levar as crianças para casa.
A Olga não teve melhora nenhuma.

21/11/2009

Já no sábado íamos para o hospital, mas antes passamos ao centro. Nisso o Choro começou a dar problemas e o Alexandre nervoso perdeu a paciência com ele. Daí eu não gostei e quase acabamos brigando. Pois é uma questão de colaborar e tentar manter a calma pra se resolver as coisas. Mas não aconteceu assim. Num reflexo de nervosismo eu disse que não iria mais se ele não fizesse a parte dele.
Mas acabou que nos deixamos o Choro em minha mãe e fomos ao hospital. Encontramos a Olga péssima, sem memória, sem andar, terrivelmente inchada, péssima.
A Adriane estava cansada, nervosa, com medo, chorando fiquei para dar uma força enquanto o Alexandre não ficou por lá muito tempo. Não teve estrutura.
Ajudei dar banho e comida e fazer companhia pra Dri.
Fiquei a tarde toda com a Dri. Depois ela foi se acalmando. Conversamos e ate que foi tranqüilo. Colocaram sonda e deu efeito à urina saiu e muito. E começou a diminuir o inchaço.
De volta pra casa tomei banho e fomos jantar no minuano. Lá foi um momento de descontração entre o Choro, Alexandre e eu já que de manha houve um pequeno desentendimento.
Compensou!!!
Já em casa sobrou nos dormir...
Assim passou o dia de transtorno.

22/11/2009


Levantamos mais animados e decidimos fazer um passeio diferente. O Alexandre não queria, mas eu acabei convencendo ele a fazer. Fomos ao um Clube da Adenice, fica em cruzeiro. Muito lindo! Um paraíso no meio do mato , com varias piscinas , restaurante, parquinho e um sol lindo.
Nadamos juntos, brincamos , rimos enfim... muito agradável.
Valeu a pena...
Não almoçamos no local e decidimos ir almoçar no pesqueiro em Canas. Muito bom.
Eles foram pescar e nada.
Voltamos pra casa, tomamos banho e fomos ao hospital e tinha que levar gelo.
Lá a Olga estava sentada no sofá. Ficamos alegres. Reconheceu o Choro; estava menos inchada. Queria que eu desse banho nela. Foi um desafio e tanto, pois estava muito debilitada e cheio de soro e sonda. Mas sucesso!!! Consegui e ela ficou muito feliz... Passamos na Olga , mas a DRi já tinha ido. Mas liguei pra ela e ela ficou mais contente.
Depois disso voltei pra casa onde dormi um pouco enquanto o Gú ficou brincando com o Choro. Levamos sorvete pra criançada; e no caminho avistamos uma tartaruga. Mais um bichinho em casa. Alegria total das crianças.
Assisti televisão e mais a noite fomos comer pizza. As crianças estavam muito cansadas e quase não comeram. Mas deu certo. Levamos o Gú embora e fomos pra casa.
O Choro chegou dormindo.
Eu e o Alexandre ficamos conversando sobre o passado, doença, visões e acabamos dormindo.
Assim foi mais um domingo de muito lazer...











quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Lorena, 17 de novembro 2009. 08:41


Depois de um bom tempo eu reapareci novamente a escola, devido as minhas posadas no hospital.
Acordei meio que com preguiça, mas fui fazendo café e me arrumando pra ir pro trabalho. O Alexandre me acompanhou até ao portão e chegando a escola fui colocar meu diário em dia e estava ansiosa por isso. Deu um maior trampo, pois estava atrasada. A Beti havia esquecido a chave e teve que me esperar pra abrir. Foi bom, pois consegui fazer uma grande parte. A Michele veio aqui com a Manu e aí ficamos conversando sobre a vida, doença e por aí vai. Depois dei almoço aos alunos e ela me ajudou enquanto eu ia dando banho em alguns alunos e enquanto isso ela ia penteando os cabelos.
Já à tarde os restantes dos alunos chegaram assim como o resto das meninas também. A Josi e eu arrumamos alguns bilhetes que estavam atrasadas. A Mi chegou atrasada, pois foi arrumar o cabelo que depois de um pintura acabou ficando laranja. Ela ficou num desespero total. Rs.
Assim correu o dia aqui. Até que sossegado e eu consegui ver orkut e diário.
Depois fui pra casa, pois teria terapia com a Ana hoje; mas não sei o que houve, ela não estava lá e nem ligou pra mim. Fui até lá e nada. Resolvi voltar pra casa á pé, já que tinha ido de táxi junto com o Filhote. Foi bom vim de boa, já que a tarde estava gostosa a temperatura. Comprei uma revista de um aluno que estava batalhando grana pra formatura. Além de me cantar deu-me um beijo no rosto. Vai vendo! Rs
Vim pelo caminho pensando em tudo e no Flávio também. Mas não posso ter recaído.
Fui pra casa de minha mãe pegar o Filhote que estava brincando com o primo Rinaldinho.
Comemos pastel com coca-cola e fiquei conversando com a mãe e o pai sobre a Noemia. Encontrei com a Silva que queria saber da Olga.
Logo o Alexandre veio nos buscar e passamos na sorveteria pra um sorvete e suco. Legal...
Já em casa, tive que namorar, mas não é aquela coisa, mas... : (
Depois tomei banho e fui pra cama ler e logo apareceu o Filhote que veio bagunçar a calma. Brincamos um pouco e logo ele correu pra dormir no colo do pai e eu apaguei a luz e fui dormir. Pensei muito nas coisas e não tem muito que fazer. Não sei se é saudade ou falta. não consigo descrever mas fico triste com tudo.
Durante a noite o Alexandre passou mal...
Assim foi mais um dia...

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Lorena, 11 á 16 de novembro de 2009. 16:02


11/03/2009
Acordando fui fazer café e me arrumar para mais um dia de luta.
Chegando postei meu diário e arrumei os documentos da escola para o ano de 2010, aproveitando que a Mônica estava aqui.
Fiz muitas coisas. Depois arrumei o almoço para os alunos e a Mônica deu, enquanto eu alimentava meu Filhote.
Já à tarde dei aula e foi até sossegado, pois a Hérica não pode me cobrir.
Tive que sair cedo do serviço, pois realmente preciso posar no Hospital com a Olga, esta por sua vez não está legal, pois as reações da quimioterapia estão causando feridas pela boca e queda de cabelo. Vou para casa mais cedo para descansar um pouco, pois a noite será longa.
Chegando a casa um pouco antes da chuva, tomei banho enquanto o Filhote fazia tarefa. Depois decidiu tomar banho pois estava encardido.
Após o banho tomamos café e fomos para frente da TV, onde ele ficou assistindo e eu fazendo meu quadro (tapeçaria). Nisto o Alexandre demorou a chegar para irmos ao hospital. Saímos daqui já eram 20h30min da noite e até que cumpramos lanche demorou a beça. Oxi!!!
O Alexandre subiu primeiro no hospital e voltou arrasado com o estado da mãe dele.
Bem...chegou minha vez de subir e fiquei impressionada com a imagem dela. Devido à quimioterapia deu –lhe uma ferida na boca onde lhe deformou o rosto que também estava inchado. Assim começou a noite que iria ser longa...
Ao lado da Olga tinha uma senhora chamada Nadir, que já está em fase terminal, é uma PACIENTE , IMPACIENTE.
Falava o tempo todo, reclamava de dor , falava do seu passado , delirava , reclamava a ausência da filha e do marido.
Todos os pacientes do quarto tinham acompanhantes , menos ela. O porquê não sei...
Disseram –me que duas pessoas haviam visitado ela , mas acabaram discutindo.
Ela era uma paciente bem precária pois um lado do corpo dela é paralisado , não podia se mover de maneira alguma, Dependência total pra tudo.
Seus órgãos estavam em péssimo funcionamento e quando funcionava era uma situação precária.
Mas entre as entrada e saídas das enfermeiras durante á noite ela dormia e variava...assim foi.
A Olga levantava verias vezes para ir ao banheiro e nessas idas urinava sangue no qual a deixou preocupada , mas não dei ênfase à situação para não preocupar –lá mais ainda.
“Teve que tomar plaquetas e a” Mine Enfermeira “(apelido que a Dona Nadir deu a uma enfermeira que realmente era baixinha de mais) quem fez a aplicação”. Uma pessoa admirável.
Durante esse período sem dormir fiquei pensando na vida , e creio que não somos nada, que Deus fez as coisas certas mas queremos á nosso tempo e jeito: mas...fica a pergunta :_ O que realmente vale a pena?
Decidi ouvir musica e às vezes cochilava .
Assim foi a noite...

12/11/2009
Já de manha a Olga pediu para tomar banho e eu fui ajudá-la.
Mas aconteceu um fato muito engraçado.
A Dona Nadir , a “paciente impaciente” ao lado teve uma “crise” de escândalo. Pediu sua bolsa e eu por sua vez entreguei á ela.
Ela começou a procurar algo dentro e pegou uma carteira de cigarros e jamais poderiamos imaginar que lá havia um isqueiro. E não é que tinha!?
Mas eu acabei pegando a carteira de cigarros, pois ela estava tomando medicamento pelo soro.
Ela ficou brava e quis colocar fogo no cobertor.
Chamamos a enfermeira e conseguimos tirar o isqueiro dela.
Ela ficou uma fera.
A Olga começou a dar conselhos a ela, ela ficou mais irritada e ameaçou de jogar a porta soro (ferro pesado) na Olga, dizendo pra que calasse a boca e parar de dar palpite errado e que nós não sabíamos o que ela era capaz.
Mas a Olga ficou irritada respondendo á altura.
Só sei que foi muito engraçado , que no final todos riram da situação.
Mas pareceu-me que a Dona Nadir extravasou o estresse e que acabou caindo em um sono profundo.
Tomamos café e logo o Alexandre me buscou com o colchão casca de ovo , sabonete e a Adriane que iria ficar de acompanhante de dia.
O Alexandre me deixou no ponto de ônibus para retornar a Lorena.
Chegando aqui fui pegar meu filhote em minha mãe. Relatei o fato do hospital, mas parecia que minha mãe ficou enciumada pelo apoio que eu estava á Olga e que não foi dado à mãe dela na época.
Minha mãe mediu esforços para cuidar de minha avó Perdendo a coragem.
Mas minha avó morreu de maneira linda, sossegada , dormindo sem sofrimento , e isso é o que ela mais pediu. Isso é o que difere referente aos pacientes com câncer onde já não tem cura e fica lá até chegar à hora. Mas...
Almoçamos e fomos á feira, pois minha mãe queria comprar CD e eu acabei comprando três vestidos lindos para mim. Preço bom costura bom e estampa maravilhosa, estilo indiano e comprido. Minha cara.!
O Filhote comprou três DVD infantil e três adesivos e pediu para que eu comprasse o vestido, pois ele, pois ele tinha comprado coisas para ele.
Filhote querendo igualdade!
Pegamos táxi de volta e já em casa tomei banho e fomos assistir os dvd´s deitados no colchão na sala, ande tive que dormir, pois eu iria passar a noite no hospital novamente.
Acordando passei aspirador na casa, recolhi e dobrei roupas, lavamos algumas e eu e o Filhote foi à padaria, tomamos café e estou aguardando a hora de ir para o hospital e ver como estão as coisas.
Chegando lá a Dona Nadir estava silenciosa e haviam dado remédio para dor e esse he dava sono.
A Olga estava aparentemente bem. Passou a tarde numa sala de espera no final do corredor do hospital conversando com a filha e o genro Valdinei.
A noite foi pesada, ela se levantava praticamente de meia em meia hora para ir ao banheiro, pois se recusava usar a fralda.
Eu observava que saia gotas de sangue. Ficávamos apreensivos.
Sem contar que tinha que observar os soros pequenos que tomava e vigiar constantemente, pois ao acabar tinha que avisar a enfermeira rapidamente, para que o sangue não subisse pela mangueirinha e assim perdia a veia e ficava difícil de pegar outra.
“““ ““ Nos intervalos li algumas paginas do livro:” Buscai as coisas do Alto (Pe.Léo)”
Fascinante estes trechos:
‘“Quando ficamos presos às pequenas coisas do cotidiano não progredimos na vida.”.
“...não olhar para trás .O passado por melhor ou pior que seja não volta.”
“No mundo das coisas fáceis , criamos pessoas enfraquecidas , sem determinação , sem coragem para lutar , sem garra e sem uma meta na vida.”
Interessante não ?!
Assim foi a noite...

13/11/2009
Já de manha a Olga levantou meio abatida. A sua boca estava bem inchada devido à ferida.
Deu lhe enjôo causando lhe vômito. Até para vomitar ela estava fraca , tive que colocar uma cadeira dentro do banheiro para facilitar. Não conseguiu tomar café.
Sem contar que no vomito saiu umas gotas de sangue.
As enfermeiras resolveram coloca-la em um quarto individual, pois sua imunidade estava zero e o uso da mascara além do calor, incomodava e abafava. Sem se esquecer o calor.
O Alexandre chegou com a Dri, que iria ficar lá de acompanhante durante o dia., e eu ia para o ponto de ônibus e descer em minha mãe.
Conversei com a Silva sobre o estado da Olga e fui pegar meu filhote.
Minha mãe até que estava boa , mas meu pai estava com uma cara feia , de pouca conversa e implicando com o Choro e para ajudar o Choro me entra de baixo da mesa e ao sair deu uma esfolada nas costas.
Aí já começou a chorar criando tumulto , logo chamei um táxi e pelo menos em casa fica melhor sem “incomodar” os outros.
Eu e o Filhote almoçamos e fomos assistir TV deitados no chão da sala.
Nisso aproveitei para dormir pois iria posar no hospital novamente.
Durante o dia o Filhote ao brincar com sua cachorrinha Cléo deu umas chamadas de atenção da cachorra, e ao fazer isso se comportava como se fosse pai dela e ia levar a cachorrinha para aula de caratê.
Vai vendo!!!
Depois a buzina do sorveteiro gritou e encerrou a brincadeira para comprar sorvete de kwui para ele, morango para o pai e limão para mim. Rs.
Sem contar que queria passar pano em cãs para me ajudar. Eita molequinho!!!
Fomos à rua um pouquinho para ele brincar na areia enquanto eu lia o livro do Pe Léo.
Tomamos banho, a Josi veio até em casa e vai trabalhar em meu lugar.
As meninas estão me ajudando muito nesse momento da doença da Olga.
Eu e o Choro fomos dar uma voltinha com a Cléo na pracinha perto de casa.
Mas o senso de proteção do Choro foi maior que decidiu levar a cachorrinha no colo para protegê-la dos outros cachorros maiores de rua.
O engraçado é que o braço dele doía, mas não desistia.
Já de volta tive que lhe dar outro banho para que eu pudesse ir até ao hospital.
O Alexandre ficou meio que irritado com ele, pois ele queria sair de calça jeans me levar até ao hospital, mas tenho comigo que foi por causa do celular que eu levei comigo para dar volta com o Choro e ouvir musica.
Ignorei...
Fomos ao hospital e até que ele me pareceu de bom humor. Sem contar que ia jogar bola no clube.
A noite no hospital foi calma, o sangramento continua e está tomando medicamento para cortar.
Assim foi o dia...

14/11/2009
Já de manha a Olga tomou banho, pois alem de rotina havia urinado na cama. Deu enjôo, mas não vomitou.
Na hora do banho se enrolou ao passar os soros pela manga da blusa.
Mas eu acabei resolvendo...
O Alexandre e a Dri demorou a chegar.
Chegando fomos embora e eu fui a Sumirê comprar produtos para hidratação de cabelos.
Passamos no mercadão para um lanche e lá pensei na Leila e não foi que encontrei exatamente a Leila. FASCINANTE!!!
A mãe dela estava ótima e passeando. A Leila havia mudado o visual e estava com os cabelos lindos.
Conversamos e vamos no adicionar no orkut e MSN.
Nesse momento o Alexandre me questionou.
Respondi com o saco cheio e me controlei para não estourar.
Sendo assim meio emburrado e pra ser sincera naquele momento eu pensei:- “Problema é o dele”! RS.
Cheguei a casa tomei banho e fui deitar para dormir, mas antes tive que arrumar a sunga do Choro, pois ia à piscina do clube com o pai e o Gú.
Deitei liguei o radio deixei bem baixinho e dormi... Que bommmmm!
Mas estava tão calor!!!
Acordei tomei café e fui fazer um tratamento de beleza.
UAU!!! Dei pra mim tratamento de cabelo, unha, rosto, corpo, pé, secador e chapinha. Tratamento intensivo de beleza.
Valeu tudo isso ainda mais com direito a som para animar...
As crianças foram ao hospital ver a Vó.
Eles ficaram contentes, pois entrar no hospital onde não se podia entrar ainda por causa da idade e usar máscara... ah! Para eles foi o máximo.
O Filhote nessa mudança de rotina se esbalda! Brinca e fica o tempo todo com o primo que pra ele é o melhor amigo.
Ah! Quase não gosta não!?
Marcamos pra ir até ao clube pra se distrair.
Confesso que eu fiquei meio apreensiva...
O Alexandre praticamente não sai de lá, ainda por cima que segundo ele encontrou na sexta a turma dele todinha no clube.
Enfim ele ama tudo aquilo...
Eita vida viu! Mas como disse o Pe. Léo no livro:
“__ NÃO OLHE PARA TRAS”
Então vamos lá... avante!Rs
O Chorinho cortou o cabelo e ta um gatinho.
O Alexandre demorou a chegar e saímos tarde para ir ao clube. Ligamos para a Dri pra ir com a gente e levar o Gú.
Coloquei roupa básica, jeans e topo, mas tava calor e acabei indo de vestido e rasteirinha. Coisa de mulher.
E lá fomos nós.
O Tempo estava bonito e gostoso, propicio para um Malzibier. E foi isso mesmo que eu fiz e ainda por cima acompanhado de pizza. Hummmm
O Alexandre, o Choro e o Gú ficaram no parquinho, enquanto eu a Dri fico falando sobre a doença da Olga. Na realidade a Dri quis desabafar.
Eu sei exatamente o que ela estava sentindo, pois eu já passei por isso antes.
Havia um som legal com musicas dos anos 80. Minha vontade era de ficar ali e me acabar de tanto dançar.
Mas as crianças estavam com sono e fomos pra casa.
Chegando lá nos restou caminha e sono...
Assim se foi...

15/11/2009
Hoje acordamos descansados. O Alexandre foi à missa, eu e o Choro ficamos em casa.
Eu dei uma geral na casa, enquanto o Choro ficou vendo TV.
Fiz almoço e deixei tudo preparado.
O Alexandre chegou aos arrumamos e fomos para piscina enquanto o Alexandre jogava bola.
Eu ficava tomando sol e às vezes na piscina com o Choro.
Uma amiga do Alexandre estava lá e ficamos conversando sobre relacionamento. “““ Na verdade queria saber sobre meu” casamento”.Apenas fui sincera e satisfiz sua curiosidade. Assim foi...
Ela se foi e eu fiquei com o Choro.
O Alexandre apareceu após o jogo, falou um oi e FOI FICAR COM OS AMIGOS.
Vou te contar!!! Eu fiquei ali sozinha.
Ali fiquei por um bom tempo.
Fiquei pensando na vida, no que é felicidade, se aquela paz e sossego esticada ao sol numa espreguiçadeira era felicidade.
É... Naquele momento eu estava sossegada, mas não sei se feliz. RS.
Falta uma pessoa que faz de minha companhia algo necessário.... mas deixa pra lá.
Ficamos mais um pouco e fomos pra casa enquanto a turma ficou.
Já em casa tomamos banho e fomos à sorveteria, almoçamos e eu fui dormir, pois voltei ao hospital.
Já aqui no hospital a situação da Olga estava critica. Infecção de urina, sangramento, perturbação na memória, cansaço, corpo com manchas, muito vômitos e por aí vai...
É muito triste acompanhar isso, chegava a pedir a Deus pra aliviar com a morte. Sem contar que ela recebeu uma visita de uma pessoa que é filha da ex amante4 de seu marido. Achei isso estranho. Para quê? Por quê?
A Olga me contou e me disse que não tinha raiva dela, mas que da mãe dessa pessoa sim, que na época era sua melhor amiga.
À noite esta sendo longa. Teve que tomar sangue e plaquetas, urina que não pára.
Assim se foi....

16/11/2009
Já de manha o Alexandre e a Dri chegaram e eu pude embora.
O Alexandre está péssimo, triste desanimado, não conseguindo reagir.
Está aborrecido pela mãe e o emprego. Mas não reage...
Passei em minha mãe, peguei o choro e fomos embora á pé, num sol daqueles.
O Choro veio falando que ao chegar a casa iria montar a arvor e de natal. E não é que montou.
Ficou bastante torta, RS! Mas ele ficou muito feliz e orgulhoso com o resultado por ter feito tudo sozinho. RS
Enquanto isso eu dormi e acordei animada. Limpando a cãs inteira, tanto dentro como fora. Agora tudo limpo e cheiroso.
O Choro me ajudou encerando a casa pra mim e brincando com a cachorrinha no quintal.
Fiz tanto serviço!
O Alexandre chegou até que um pouquinho animado.
Foi ao mercado com o Choro e trouxe pizza; e sendo assim não fiz macarronada para janta.
Ficamos conversando e ele disse que o câncer dele poderia voltar. E parece-me que está esperando a morte chegar para acabar com os problemas no qual não consegue enfrentar.
Isso me deixou triste, chego a ficar com medo, tendo que passar por isso de novo. Lutar, lutar e sozinha de novo... me assusta.
È minha vida parece ser difícil com quase nada de felicidade duradoura.
É uma vida muito desequilibrada entra a felicidade e a tristeza. O engraçado que isso foi quando decidi casar-me com ele. Sempre foi de luta somada a muita garra.
O pior que não sei se me anima ou desanima, é que vai ser sempre solitário.
Assim acabou o dia...

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Lorena,10 de novembro de 2009. 07:26


Levantei com muita falta de coragem e pedi pra Deus ânimo pra levantar e concluir minhas obrigações.
Levantei, fiz café, tomei e fui me arrumando. O Alexandre levantou e me acompanhou até a porta.
E Lá fui eu...
Já na escola entrei na NET e postei meu diário.
Logo chegou os alunos e a Eduarda começou a chorar e sai rapidamente. Fui fazer capelo e a Mônica chegou e me ajudou.
Conversamos bastante e acho que o problema dela é QUEBRAR REGRAS, MAS NÃO SE RESPONSABILIZAR PELA CONSEQUENCIA. Mas que tem uma vontade de fazer o que quiser da vida ..ah! Isso tem viu. RS
A Dona Cida faleceu. Descansou, pois era muito sofrimento ficar numa cama e com câncer.
Dei almoço para crianças e vamos aguardar à tarde. Já a tarde foi tranqüila, mas estou me achando cansada; uma hora de almoço faz muita a diferença. Mas aconteceu algo muito legal... Abri meu E-MAIL e tinha um e-mail de um amigo virtual que tem um blog e que acompanhava o meu. Achei muito lindo o e-mail e eu estava mesmo precisando seguir o dele , mas por falta de tempo ainda não tinha o adicionado e aproveitando a situação acabei fazendo isso. Fiquei muito feliz. Mas o mais engraçado que o achei no orkut; tínhamos amigos em comum á bom tempo e nunca tinha visto ele lá. Olha... dei uma gargalhada gostosa diante do fato. Nãooo...foi o máximo. Tão perto e tão longe. Aí pedi pra me adicionar ;basta aguardar.
Dei minha aula com um calor imenso e abafado ainda por cima , mas correu bem. Fiquei durante o recreio observando as crianças brincar e como agüentam subir e descer do escorregador varias vezes, e põe varias vezes nisso. Sé de olhar já dava canseira. Sem contar como riam ... Brigavam , reclamavam mas já eram amigos de novo. Realmente seu jeito de viver é simples...
Também no recreio deitei um pouco no colo de meu Filhote...e as crianças acharam muito legal isso. Ficaram em volta olhando e rindo.
Chegando à hora da saída ficamos eu e as meninas falando sobre morte e doença. Foi muito engraçado , rimos muito. Umas tinham medo outras esperavam que a morte demorasse e eu por sua vez já queria acompanhá-la de perto pra saber como se dá esse processo , sem contar que eu falei á elas que eu iria voltar para contar como foi. Kkk
Mas... Elas agradeceram e disseram que não precisava se incomodar com isso. Kkk
Foi muito bom esse momento de descontração do serviço.
Já em casa eu e o Filhote tomamos aquele banho , pois ele estava imundo e tínhamos que ir a quitanda antes da chuva , mas não adiantou nada , tomamos chuva ao ir embora.
Ele ficou em minha mãe enquanto eu ia comprar suas frutas , mas ao retornar encontrei com a Dona Maria e a Silva onde falamos sobra a doença da Olga e sua estadia no hospital. Nesse momento questionamos se todo o esforço , luta, dificuldade e sofrimento que a Olga passou fez hoje em seu estado atual fez a vida realmente valer á pena. Fizemos até um balanço em relação à vida da Dona Cida , que teve uma vida boa , feliz e acabou morrendo de câncer no pulmão. Vidas diferentes mas situação igual...VAI ENTENDER... Por isso eu o Filhote tomamos chuva.
Minha mãe ficou de fazer meus vestidos , vamos aguardar.
Já em casa lavei roupa e coloquei algumas no varal , fiz janta e dei banho no Filhote que estava sujo de novo como sempre...eita!
Moleque de ouro ele , assim como comentou minha mãe pelo seu jeitinho de ser , muito legalzinho.

Também... Depois do banho não resistiu o cansaço e dormiu. Eu ia ler um pouco mas a energia acabou e ficamos no escuro. Legal não!!!
Sendo assim fiquei conversando com o Alexandre e falamos de coisas importantes e bobas também. Numa dessas conversas planejamos que eu teria que dormir com a Mãe dele no hospital.
O Flávio não ligou e nem mensagem deixou. É estranho , mas melhor assim...
Assim terminou a terça feira , até com muitas gargalhadas.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Lorena,09 de novembro de 2009. 07:28



Acordei um pouco desanimada e pedi á Deus que me dessa força pra realizar minhas coisas com ânimo. Postei meu diário e enquanto a Beti limpava a escola.
As crianças chegaram, fiz o xérox e fui cuidar dos alunos.
Minha mãe veio aqui me ver e trazer a roupa de formatura. Reclamou um pouco do pai e dos ciúmes da Geli sobre o namorado. Mas não dei muita importância. Sem contar falou também sobre a Adriana e a sogra dela que está doente e que ia levá-la pro Frei Galvão.
Sem contar que encontraram a Noemia , uma tia minha que havia desaparecido á anos...gente...isso foi o máximo.
Enquanto isso a Mônica que foi indicada pela Ana (psicóloga) me procurou e ficou falando dela. Propus-me a ajudar.
Amanhã irá fazer uma experiência.
Vamos aguardar.
Pela conversa é uma pessoa insegura , sem ânimo , e cheia de “coisas” psicológicas.
Só o pó...
Nisso minha mãe tomou conta das crianças. Depois fui dar almoço pra turma.
Agora á tarde vou fazer uma reunião com as mães sobre a formatura. Vamos aguardar...
A reunião teve altos e baixos. Ninguém quer perder mas não se dá pra levar tudo. Mas até que chegamos a um senso de R$40,00para formando e R$20,00para os não formandos.
Bom. Agora tenho que economizar.
O Diretor do Adventista veio aqui , mas não deu tanto desconto assim.
O Alexandre me pediu pra eu ir até ao centro pagar conta. Vou lá fazer isso pra ele, aproveitando que a Érica ta aqui...
Fui até minha mãe e deixei a moto lá. Enquanto peguei táxi e fui pagar conta na casa lotérica do bairro da cruz e além do calor a fila tava enorme. Mas concluí. Encontrei com a Roseli e falamos do reaparecimento da Noêmia.
Voltei pra escola e consegui sair cedo e ainda deu tempo de papear com a Beti sobre MARIDOS... RS . Fala sério...
Chegando a casa fui lavar a roupa e limpar casa, mas não deu tempo de colocar roupa no varal, pois acabei varrendo o quintal e lavando a varanda da frente.
Mas amanhã tem mais trampo.
O Alexandre me falou da Olga e já tem consciência da gravidade da doença. Acredito-me que ficou triste, mas eu não dei andamento no assunto.
O Chorinho ficou em minha mãe. Melhor assim, pois ficou de boa e brincou muito com o Rinaldinho e o Alexandre o buscou bem á noite. Além de cansado ficou enrolando pra dormir. Queria dormir no meio. Sei que acabou o Alexandre dando uns pega no Choro e indo pra sala... Nós ficamos e acabamos dormindo.
O Flávio não deu sinal de vida.
Melhor assim.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Lorena, 06 , 07 , 08 de novembro de 2009.


Acordando de boinha, fiz café, tomei e fui me arrumar pra vir pra escola. O Alexandre me levou até a porta. Já aqui na escola fui pra NET.
Postei meu diário e respondi o orkut.
O Flávio me ligou, quase tive recaído, mas depois consegui deixar minha posição clara quando entrei no msn.
Segundo ele, ficou triste... mas não dá pra continuar. Quer-se paz tenho que contribuir pra isso. Falei com a Elaine e disse á ela a mesma coisa. Até toquei no assunto sobre o livro que estou lendo. Fiquei até de emprestar pra ela.
Na verdade nem sei se amo o Flávio, só sei que sinto a falta dos momentos que passamos juntos. Ele disse que não se arrepende do que faz... sendo assim..deixo pra –lá.
Dei almoço para as crianças e recebi telefonema da Mônica que precisa de ajuda pra crescer seu lado pessoal. A Ana (psicóloga) que me pediu um auxilia.
Então vamos esperar à tarde...
Já a tarde não foi como o esperado, pois a Karen não veio, isso atrapalhou muito o rendimento. Fiquei meio com o saco cheio, mas dei continuidade. Fiz o dia correr.
Acabei o dia e fui pra casa, onde lavei banheiro e o Flávio ligou pedindo que eu deixasse msg pra ele, pois tinha crédito no celular. Que saco, acabei ficando em uma sinuca de bico. Na mesma, nem sim e nem não.
Limpei a casa toda e o Alexandre chegou tarde em casa e cansado e até com a cara feia. Consegui ignorar enquanto comemos pizza.
Depois um banho, não quis deitar e fui ler um pouco pra chamar o sono. Assim foi minha sexta – feira.

FINAL DE SEMANA
Fui ao centro com o Alexandre, onde comprei maiô, toalha branca pra bordar e linha para terminar o caminho de Mesa pra Maria.
Eu o Choro e Alexandre almoçamos fora, pois eu ia ficar no hospital. Sai de lá já era 10:30 da noite. O Alexandre me buscou e jantamos no minuano.
Já no domingo fui ao hospital e fiquei lá até umas 04:00 da tarde, quando o Alexandre me buscou, pois ele ia assistir futebol. Já em casa aproveitei dormir enquanto a casa tava sozinha. Ao acordar fui fazer minha unha, devido eu ter ficado no hospital.
De manhã o Flavio ligou de novo. Mas consegui desconversar.
Liguei pra minha mãe e ela parecia estar agitada, mas não dei muita importância.
Nesse período o Chorinho ficou brincando com o Gustavo, foi à piscina, brincou com o Gú no clube, capturou passarinho e já à noitinha eu o Alexandre e ele fomos dar um passeio no quarteirão com a Cléo.
Depois tivemos que voltar na casa da Olga pra deixar o passarinho. O Choro queria dormir lá, mas não pode. Ganhou uma sandália do Ben Dez que veio com o relógio. Só alegria.
Durante esse período no hospital conheci Dona Inês, Cida que está com câncer no pulmão e umas irmãs de caridade e uma loira gordinha muito legal que falou sobre sua historia de vida.
Elas trouxeram um padre para receber Unção dos Enfermos.
Eu e o Alexandre namoramos e eu fiz um carinho nele.
Mas... é melhor eu nem ficar ligado mas sensações que tudo isso causa. Eu quero PAZ...
Do resto nem quero pensar...

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Lorena , 05 de novembro de 2009. 07:16


Acordando muito cansada e pedi para o Alexandre fazer o café, pois pra mim já tinha. Arrumei-me e fui pra NET.
Aos poucos foram chegando os alunos e com o tempo tive que sair pra olhar a turma antes que acontecesse algo.
Resolvi encampar as caixas e aos poucos estou arrumando a bagunça dos fundos.
Dei almoço aos alunos e troquei algumas fraldas e tirei horinha de almoço e vamos esperar pelo período da tarde.
Período da tarde foi de muito serviço, pois limpei tudo na sala dos fundos da escola. Ficou tudo organizado e tinha muita bagunça e sujeira. Dei algumas pregadas em algumas cadeiras e assim foi. A Mi me ajudou e a Aline também.
Quando saí daqui estava morrendo de calor e estava precisando de banho estava muito suja.
A Elaine veio aqui na hora do almoço pra trocar as caixinhas e conversamos sobre o Flávio. Ela me deu razão, meio sem jeito e, mas me deu.
Olha... Melhor assim. Acho que desta vez foi o fim.
Devido á isso acabou criando força pra limpar os fundos, assim não penso.
Já em casa tomei aquele banho e aproveitei dei banho de creme no cabelo.
Animei-me e fui arrumar cozinha, dobrei e passei roupa (ISSO FOI O MÁXIMO) e dei uma geral no armário da cozinha.
Fiz janta pro Chorinho.
GENTE! Não é que eu to arrumando a casa! Rs
O Alexandre demorou pra vir do serviço e o Chorinho me ajudou arrumar as roupas e me ficou fazendo companhia enquanto passava roupa.
Às vezes me enchia o saco querendo fazer arapuca pra pegar pardal. Vai vendo.
Quando o Alexandre chegou tomei um gelada sentados no quintal onde ficamos conversando sobre arrumar a casa e eu sugeri pra fazer somente a calha.
Depois fui passar água no corpo e deitar e acabei lendo um pouco.
O Livro é muito bom... mas não consigo terminar.
Tinha uma parte que falava QUE NÓS MESMO SOMOS RESPONSÁVEIS PELO O QUE SENTIMOS.
Durante á noite acabei tendo uma recaída fiquei pensando no Flávio, mas é carta fora do baralho. Preciso me dedicar as minhas coisas e ser feliz sem isso.
Assim foi minha quinta feira.
Valeu!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Lorena,4 de novembro de 2009.



Estou mais um dia aqui...
Foi um dia calmo onde consegui fazer muitas coisas sem ter planejado. Arrumei minha sala, postei diário, respondi recados e por aí foi.
A Karen está animada com o casamento e a gente aqui da escola estávamos dando uma força pra ela e eu me propus ajuda-la com o bolo. Legal!
Dei um pouco de aula enquanto esperava a Hérica outra pessoa legal que conheci.
O Flávio me ligou não disse nem não e nem sim. Falamos-nos um pouco e só.
Entrei no MSN e falei um pouco com ele e com a Elaine.
Ele tocou no assunto sobre a gente, mas eu fui sincera dizendo que eu não sabia e quer não via perspectiva pra gente. Ele não gostou, mas pelo menos não me enviou nensagem. Graças á Deus.
Fui à terapia e até que foi boa. Ela disse que eu estava certa sobre minha atitude com a Olga e o Alexandre e me disse que isso me fez bem, dizendo que podemos ser felizes assim também fazendo sem esperar nada em troca.
O Alexandre me buscou e passamos no clube e lá estava a Analúcia e o Compadre, nos fala muito rápido e eu fui embora; mas antes passamos no mercado.
Peguei o Choro na mãe que estava na Adriana e fui pra casa fazer janta pra turma. Depois da janta fiquei com o Choro no quintal onde ele brincou com a Cléo e eu tentando ler um livro. Depois acabei me deitando pra dormir.
Não pensei em nada e deixei correr o dia.
Sei que o Choro e o Alexandre estão felizes...
E eu ainda não sei.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Lorena , 03 de novmbro de 2009. 07: 29


Mais um dia de sossego...
Levantei e fui cuidar da casa, lavei roupa. Como não fui ao hospital acabei ficando em casa para colocar serviço em ordem.
O Alexandre foi trabalhar e não veio almoçar.
Ah! Ele foi chamado no serviço horrível dele de novo.
Eu e o Filhote almoçamos miojo , pois tinha muito serviço.
Tomamos banho e fomos para a escola. Tinha pepino pra resolver de mordida e inconveniência de uma mãe de aluno querendo saber o porquê de não estarmos trabalhando com a Josi. Mas consegui resolver.
Fiquei um maior tempo na NET e colocando meu diário em dia. Consegui.
Conversei com as meninas e tenho que me organizar para a formatura. Marquei uma reunião às pressas assim me obrigo a andar com a formatura.
Do resto foi muito bem. Nenhuma mensagem e nem telefonema do Flávio. Melhor assim. Mais um dia de Paz.
Bem isso foi escrito antes de eu ir pra casa, mas houve uma mensagem sim, isso me deixa aborrecida, mas a responsável por isso sou eu mesma.
Só sei que não respondi nenhuma.
Já em casa depois do trampo resolvi limpar a casa, lavando as varandas de fora devido ao xixi dos cachorros.
Acabei ficando irritada devido à cólica e muito serviço que parece não ter fim. E me parece que o Alexandre não gostou.
Eu também fico chateada por não conseguir fazer as duas coisas e não ter estimulo pra tudo.
Isso é muito triste.
A Ana psicóloga ligou lembrando que a terapia seria hoje e eu nem pensei nisso. Eu nem sei se vale à pena freqüentar.
Sei lá viu.
Na realidade eu to querendo mais que uma formula pronta pra se resolver todo meu problema, mas... Não é bem assim.
A Geli me ligou pra buscá-la da faculdade, pois a sua topic quebrou.
Até que o Alexandre foi de boinha.
O Choro não quis assistir aula por causa da substituta (Hérica). Olha deveria ter me importado, mas nem liguei.
A noite estava muito quente e o choro fez uma brincadeira engraçada. Ficou debaixo da janela e falou: _ Deixa a janela aberta pra refrescar meu corpinho.
Esse moleque!
Ah! O Alexandre e o Choro foram fazer caminhadas enquanto eu fiquei limpando e depois ele me ajudou limpando a cozinha.
Assim foi mais um dia.

Até.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Lorena , 29 de outubro á 02 de novembro. 14:46


Hoje o dia foi tranqüilo, mas cheio de atividades...
Fiquei no hospital com a Olga, falei com o médico e ele me disse que o estágio dela é complicado, mas é uma chance em mil.
Dá pra se ver o sofrimento, muita diarréia e a urina não se segura.
Piquei pêra para que ela pudesse comer, até que rodou, mas o apetite não tem.
Ajudei no que eu podia dando banho e conversando.
Eu e o Alexandre fomos até ao centro onde comprei um varão barato.
Dei sorte ! Passei na Sumirê onde os produtos de cabelo até que vai ficar barato. Comemos salgados no mercadão e conversamos um pouco.
Foi bom
. Ele disse-me se eu estava ou não com ele.
Eu respondi que eu estava mesmo com ele e prometi cuidar dele.
Ele ficou feliz e eu não sei sobre meus sentimentos.
O Filhote ficou em minha mãe.
Lindo ele...
As meninas cuidaram da escola direitinho. Cuidaram do show e tudo.
Graças á Deus, essa semana vai passar rápido.
Conversei com a Leila, uma pessoa maravilhosa e carente pela ausência da mãe. Faz-me refletir sobre o Choro.
O Alexandre me buscou onde troquei o lugar com a Adriane.
Passei muito tempo no hospital acompanhando a Olga e devido á isso não vim trabalhar. Mas escola andou claro que teve reclamação de mordidas e canela roxa, mas são coisas que não tem como evitar 100%.
Foi um tempo muito bom de convivência entre eu e o Alexandre.
Namoramos, fomos ao shoping, tomamos chopp, pegamos piscina, sorveteria e assim foi.
Tudo isso com o Chorinho.
Estou com meu coração calmo, mas ainda não em paz, pois nesse intervalo o Flávio me enviou mensagens.
Isso ainda não conseguiu resolver e peço á Deus que me ajude nisso.
A Olga ainda não teve alta.
No clube conversei com a Analúcia e abri meu coração. Ela ficou de boa.
Encontrei a Vivi e quase me deu vontade de falar com ela, mas não fui adiante.
Melhor assim.
Mas conversei com a Reny, Kenia e a Irani, tomei sol...
Estou reagindo bem.
Quero paz e tenho que trabalhar pra conseguir.
Segui minha intuição e cancelei a conta do Alexandre no orkut.

Assim será melhor.
Vou fazer com que minha paz aconteça. Mas deixarei meu orkut aberto.
No final das idas e vindas do hospital acabei escutando um depoimento da Olga, falando de uma viúva que chorou a morte do marido e acabou freqüentando o gordo. Nisso ela acrescentou que NÃO GOSTA DE GENTE CINICA.
No momento me incomodou, mas consegui não me importar com isso.
Consegui.

Fomos levar pizza pra eles no hospital.
Realmente não sei qual é a dela.
Mas deixa pra lá.
Assim foram meus dias durante este desaparecimento do meu diário.